Em caso de assalto, o que fazer?

Em todas as regiões do Brasil, os índices de violência urbana vêm crescendo demais. O que antes parecia uma realidade das capitais, os casos de assaltos, hoje assola o país inteiro, sem distinção entre metrópole e interior.

A condição econômica do país somada à falta de efetivo policial e de políticas de segurança pública capazes de coibir a ação de criminosos são fatores que contribuem para piorar a situação a cada dia. Quem mais sofre é a população que acaba ficando cada vez mais exposta a ameaças.

 

Dentro deste cenário, é essencial que  saibamos como nos comportar diante de abordagens de criminosos para minimizar riscos e evitar que um roubo ou sequestro, por exemplo, torne-se uma tragédia.

Para ajudá-lo a enfrentar estas situações perigosas da melhor maneira possível, reunimos algumas dicas muito importantes, confira abaixo!

10 dicas que podem valer sua vida

Sabemos que é muito difícil agir diante de um momento estressante como um assalto. É importante relembrar que o assaltante, em geral, está apenas interessado em obter bens da vítima, quem tem índole de matar é o homicida. Estatísticas policiais demonstram que o risco de uma pessoa morrer durante um assalto é baixíssimo.

Pense nisso, e guarde as 10 dicas que reunimos do especialista Segurança Pública e Privada - Jorge Lordello para orientar você a sair bem destas situações.

Dica 1)

No momento em que o bandido tira o revólver da cintura ou anuncia verbalmente o assalto, a vítima não deve tentar fugir, correndo ou acelerando moto ou carro. Nesses casos normalmente o marginal faz um disparo na direção da vítima que tenta evadir-se.

Dica 2)

Jamais reaja, pois 80% das vítimas que tentaram impedir um assalto foram baleadas.

Dica 3)

Não realize movimentos bruscos, pois o criminoso pode imaginar que você está esboçando uma reação ou tentando pegar uma arma de fogo.

Dica 4)

Iniciado o roubo, permaneça imóvel, mostrando sempre as mãos e siga as determinações do bandido.

Dica 5)

Antes de realizar qualquer movimento (principalmente com as mãos), avise verbalmente o marginal para que ele não leve um susto e acabe acionando o gatilho do revólver.

Dica 6)

Após anunciar o movimento que pretende realizar, faça-o de maneira lenta, sem afobação.

Dica 7)

Não olhe para os olhos do marginal, pois isso pode irritá-lo, tornando-o ainda mais tenso.

Dica 8)

Não tente negociar bens num momento tão crítico e perigoso. Pense somente na sua integridade física e mental e por isso entregue todos os pertences que o marginal ordenar.

Dica 9)

Mesmo que você tenha certeza que o ladrão possui uma arma de brinquedo, não tente dominá-lo, pois ele geralmente está acompanhado e o comparsa pode te ferir pelas costas.

Dica 10)

Caso tenha botão de pânico, não aperte na presença do assaltante, se ele perceber, pode reagir. Só aperte se perceber a ameaça à distância, ou após a ocorrência, nunca durante a abordagem.

Nada vale mais do que sua vida!

Esperamos que você não precise utilizar nenhuma destas dicas. Porém, se acontecer de encontrar-se em uma situação como um assalto, ter tranquilidade e seguir essas dicas é uma boa forma de amenizar os riscos e preservar sua vida.

Caso você já tenha passado por uma situação como essas ou tenha outras dicas para tornar o dia a dia mais seguro, compartilhe conosco nos comentários!

 

E já sabe! Pode ficar à vontade para pedir qualquer auxílio, tirar qualquer dúvida, ou até mesmo solicitar uma consultoria gratuita.

 

Boa semana!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre-se em nossa Newsletter

Assine nossa news para receber as publicações do blog em seu e-mail.

Obrigado pelo seu interesse...

Ops... Tente novamente mais tarde.

Empresa de monitoramento pioneira em Santa Catarina. São mais de três décadas atuando na entrega de soluções personalizadas em projetos de segurança.
FALE CONOSCO
phonewhatsapp linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram